quarta-feira, 30 de março de 2011

"Agente somos inútel"

O mês de março foi marcado pelo segredo, censura, especulação e má interpretação na cidade de Votorantim, no interior de São Paulo.

O prefeito Carlos Augusto Pivetta (PT), encaminhou à Câmara Municipal o projeto de lei 007/2011, solicitando votação para concessão de parte dos serviços prestados pelo SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTO - SAAE de Votorantim.


O problema se deu porque o chefe do executivo não informou a população devidamente, nem mesmo os vereadores sabiam de tal plano "guardado à sete chaves" por Pivetta.

A população se revoltou e distribuiu cartazes pela cidade com frases como: "VENDER O SAAE NÃO!".

Isso só está acontecendo por falta de comunicação da prefeitura com o povo. "Quem não se comunica, se trumbica"; já dizia o velho guerreiro.

Então, eis que faremos um favor em explicar a diferença entre PRIVATIZAÇÃO E CONCESSÃO (nós não, a explicação foi extraída do site http://www.agr.sc.gov.br/perguntas-frequentes/qual-a-diferenca-entre-privatizacao-e-concessao-1)

O que é privatização?

Privatização ou desestatização é o processo de venda de uma empresa ou instituição do setor público - que integra o patrimônio do Estado - para o setor privado, geralmente por meio de leilões públicos.

 

O que é uma concessão?

Concessão é a delegação sob contrato, à iniciativa privada, da administração de um serviço prestado tradicionalmente pelo Poder Público, por um determinado período e sob condições por ele controladas, incluindo qualidade do serviço e tarifas

 

enfim....

Qual a diferença entre privatização e concessão?

Na privatização o Poder Público vende o controle sobre as ações da empresa privada, já na concessão nada é vendido, o planejamento e a regulação continuam por conta do Poder Público


Capisco!!!!

Votorantinenses, quanto ao projeto de lei, não podemos expor nossa opinião, mas fica á dica:

COBRAR MAIS INFORMAÇÕES E COMUNICAÇÃO DAS AÇÕES DE FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS, CONTAS PÚBLICAS, AÇÕES DE VEREADORES E DA PREFEITURA.

COMUNICAÇÃO É TUDO. SEJA VOCÊ [CIDADÃO], O ARAUTO DE SEU MUNICÍPIO!!


Att,

Mayara Medeiros


Kadhafi ou Gaddafi?



Até três dias atrás eu daria um braço, na confirmação de que o nome do ditador libanês é Moammar Kadhafi. Pois é, caros colegas, neste momento era para eu me tornar a mais nova pessoa a fazer parte das estatísticas de pessoas sem braço; o nome do 'queridão' se escreve MUAMMAR GADDAFI.

Mas por que?

Nem quis pesquisar no Google se há alguma justificativa para tal autonomia, simplesmente, após observar o alfabeto árabe, constatei que para facilitar o soletramento e escrita do nome do 'chefe', na língua portuguesa simplifica-se ao máximo.Assim como no alfabeto japonês e tantos outros.

Portanto, Kadhafi, Gaddafi, Chadaffi, Affif... dá na mesma, não está incorreto, mas é sempre bom saber o correto e não tentar escrever no alfabeto árabe (por favor!), na inocência sua casa pode ser bombardeada!

M.M

segunda-feira, 28 de março de 2011

Um perigoro ser chamado Ser Humano (sem generalizar)


Recebemos em nosso e-mail na data de hoje, uma foto seguido de um texto implorando ajuda!

Dois aprendizes de 'marginal' estão divulgando em seu Orkut, cenas de maus tratos e violência explícita aos animais.

A pessoa que nos mandou não se identificou e também não nos encaminhou as informações dos "selvagens", mas pela foto dá para identificar a 'cara' dos assassinos.



Assim como eu e a Adriana, sei que existem muitas pessoas preocupadas com a natureza e com os animais, então por favor, divulguem e se caso os identifique, entre em contato com as autoridades o mais rápido possível.

Muito obrigada a todos!!

Mayara e Adriana.

sábado, 5 de março de 2011

Uma noite em 67

            
Dos filhos de 70 e 80, poucos sabem sobre àquela noite. Mas para os que vivenciaram a árdua noite de decisão de um festival da música brasileira, sabe o trânsito turbulento de emoções e sensações que lhes embrulhavam o estômago, domado da nicotina e do álcool.
As “vuvuzelas” de 67 soavam diretamente da garganta de jovens aflitos, transbordando de protestos e revoltas. Em plena ditadura militar, protesto contra a guitarra elétrica, o Brasil buscava encontrar-se no meio musical, consolidar seu próprio estilo que pudessem marcar sua história e realidade. Jovens na platéia, jovens no palco; Apaixonados pela música, aspirantes do recém nascido, ou até então, semi projetado, Tropicalismo, cantores e compositores como Gilberto Gil, Caetano Veloso, Nara Leão, Elis Regina, Edu Lobo, Sérgio Ricardo, Roberto Carlos e muitos outros, levantavam sua bandeira diante de uma época cinzenta que eles a transformavam na cor de sua preferência sem se importar com o que poderia acontecer depois.
O depois é o hoje, os até então hippies, hoje são senhores ou já desencarnaram da carne do progresso. Acreditaram em seus ideais, em sua música, mesmo sendo jovens demais para idealizar alguma coisa, mas transformaram a história da MPB, ou melhor, deram vida a um estilo musical originalmente brasileiro, mesmo [em partes] influenciado por demais gêneros e culturas, a Música Popular Brasileira é propriamente dita, brasileira, sem rastros de qualquer outra contestação e não há outro som natural que se aloje em nossa alma.
Porém, para onde foi aquela noite? Morreu em 21 de outubro de 1967? Onde estão os jovens vaiadores e os idealistas? Depois de tanto uísque, nervosismo e alegria, a tendência da música brasileira era progredir, assim como a ditadura militar se extinguiu e aqueles jovens ensurdecedores tornaram-se adultos responsáveis e profissionais.
Os festivais acontecem, porém com bandas e músicos quase que inacessíveis ao público nacional, pode ser que os compositores do século XXI contestem sua revoltas, como um amor não correspondido, uma briga mal resolvida, ou uma vingança bem sucedida, não sabemos muito ao certo o que isso promoverá à sociedade, mas a tropicália é isso, não é? contestar alguma coisa!. As “popozudas” perdem a linha!
Aos reis e rainhas de 67 meu clamor, com ou sem guitarra, festivais ou não, a tropicália ainda vive nos cânticos minoritários, porém, crédulos da MPB.



TEXTO ESCRITO POR MAYARA MEDEIROS.
CONCURSO DA REVISTA BRAVO!
ANO: 07/ 2010

OBS.: Não ganhei o concurso, no entanto, fico feliz em compartilhá-lo com vocês!

Mayara Medeiros

Quem és tu? Mulher!

Antes mesmo do dia Internacional da mulher (própriamente dito), enquanto limpava minha casa pensei em algumas coisas (aliás, limpar casa é uma terapia!) comuns, mas que fazem um sentido enorme em nossas vidas [nós mulheres] Por que sofremos tanta pressão?

Mesmo ouvindo falar que hoje as mulheres conquistaram seu espaço na sociedade, eu penso que este espaço será sempre, dia a dia, conquistado e nunca realmente adquirido, sabe por que? Porque a mulher nunca será igual ao homem!

Nós nunca poderemos deixar nossos filhos com nossos maridos para poder ir trabalhar ou para jogar futebol á noite; também não poderemos alegar cansaço do trabalho enquanto a casa está 'virada pelo avesso' e jamais teremos a coragem de nos desviarmos de nosso caminho conjugal para reclamar mágoas no colo de nossas mães sendo que o trabalho, a casa e a vida continuam.

Desculpem-me tal vocabulário, mas a mulher é MARAVILHOSA E INSUBSTITUÍVEL, tem a força para mudar, recomeçar, apaziguar, desconsiderar, amar, respeitar e mudar, se necessário.

Vejo mulheres com essas capacidades todos os dias, enxergo esta mulher em mim, na minha mãe (48 anos, professora apaixonada pelo que faz e ainda busca o seu lugar ao sol), a mãe do meu marido, a Andréia, é uma mulher de muita garra, após mais de 20 anos fora do mercado de trabalho resolveu terminar os estudos e conseguiu um emprego; uma mulher que entrevistei, tem mais de 50 anos enfrentou todos os preconceitos e hoje é motorista de ônibus em Sorocaba; a Adriana, minha parceira de trabalho e de Blog, tem 26 anos, começou a faculdade á um ano, tem muitos sonhos e luta por eles com muito amor pelo que faz, ou seja, mulheres do mundo inteiro pode nos surpreender com sua luta, com sua renascência e com sua beleza.

Toda mulher é bela!
Toda mulher é forte!
Toda mulher é amor!

E estou generalizando, pois mesmo aquelas que comentem erros graves, ainda tem a doçura do amor e da humildade dentro de si, basta deixar florescer tal sentimento que toda mulher nasce com ele.

Hoje, sem estatísticas, noticiários ou coisa do gênero, hoje eu quis desabafar o meu orgulho de ser mulher...e mais, de ser mulher brasileira!

Mayara Medeiros